Cooperação em automação industrial deve entrar na agenda de cooperação entre Brasil e China

Enquanto o Brasil apresenta níveis relativamente baixos de automação e está ranqueado globalmente em 39° lugar, atrás de México e Argentina, com cerca de 10 robôs industriais para cada 10 mil funcionários, a China está entre os primeiros colocados, com 246 robôs para mesma quantidade de funcionários – a nona maior densidade em termos internacionais. Apesar dessa assimetria, os dois países devem dar maior ênfase à automação industrial na agenda de cooperação bilateral, defenderam participantes do webinar “A fábrica do futuro”, o último da série “Diálogo Brasil-China sobre Economia Digital”, promovida pelo Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC), a Embaixada da China no Brasil e o Ministério do Comércio da China (MOFCOM).

Assista na íntegra

Artigos relacionados